TECNOLOGIAS E OPORTUNIDADES NO GARIMPO .

TECNOLOGIAS E OPORTUNIDADES NO GARIMPO .

PROGRAMA – ROTAS DO GARIMPO

Joseph Stones, 32 anos, casado, tem duas filhas e há 10 anos decidiu ingressar numa profissão de bom retorno econômico e com garantias sociais. Joseph mora num país com riquezas minerais invejáveis, onde os trabalhadores de minérios são organizados em cooperativas produtivas, fomentadoras de resultados, onde as decisões são tomadas com transparência e em prol dos cooperados. Lá, as cooperativas não tem dono, é propriedade de todos os cooperados. Joseph está há cinco anos pagando uma boa casa, com tecnologia sustentável, financiada pela cooperativa, com juros muito baixos. Passou dois anos aguardando sua vez e fazendo planos com a família. A casa chegou em boa hora. Joseph sai para trabalhar, e em casa deixa a família com plano de saúde e um bom seguro de vida.

O local onde o garimpeiro foi investir sua força de trabalho passou pela análise de satélite e equipamentos de solo, operados por geólogos e gemólogos. Joseph Stones reconhece que sem esse apoio técnico o trabalho seria muito mais desgastante e sem o retorno esperado. A produtividade seria menor e mais difícil a geração de riqueza .

Os equipamentos e o combustível usados pela equipe de Joseph são fornecidos pela cooperativa. E quando faz a colheita da produção do dia ou da semana, a empresa de transporte de valores garante a segurança da riqueza extraída. O esforço do garimpeiro está focado em retirar a melhor produção da área trabalhada. Joseph não vai se preocupar com a venda do que produziu. Sem os atravessadores, a cooperativa compra tudo e já transfere o recurso ao cartão de negócios de Joseph. Em questão de horas a cooperativa já negociou e transferiu a produção do garimpeiro aos mercados internacionais de commodities. Isso tudo sem sair da segurança da casa de custódia. Não houve intermediadores, burocracia, insegurança ou qualquer outra forma que tirasse o sono de Joseph. Nosso personagem se sente seguro e realizado com a profissão que escolheu.

Esse trabalho parece perfeito e tudo isso é verdade, exceto por alguns detalhes. Mudamos o nome desse personagem e omitimos o país de origem dessa história. O tempo também foi adiantado. José Rocha é garimpeiro no Brasil. A diferença é que sua cooperativa acaba de aderir ao novo conceito de gestão garimpeira promovido pelo Projeto Rotas do Garimpo. Nesse novo conceito, a cooperativa passa a ser uma franquia com alto valor agregado e com boa dose de tecnologia social embarcada. Isso significa transparência para cooperados e órgãos fiscalizadores.

Tudo isso é possível porque o Rotas do Garimpo pesquisou e identificou os erros de processos nas etapas da produção à comercialização e aplicou o que há de mais contemporâneo e seguro em movimentação de recursos financeiros, utilizando o que o mercado chama de tecnologia blockchain. É o mesmo conceito adotado pelo BNDS no BNDS Coin, uma moeda digital que promete ser a prova de fraudes ou corrupção. Muito recurso transferido e gerido, com zero de perdas.

O Projeto Rotas do Garimpo presta um serviço ainda mais completo. As cooperativas que aderirem ao projeto passam por uma perícia técnica, reestruturação administrativa e documental , além do saneamento de recursos. Depois disso está preparada para a transferência de recursos, em moeda própria, respeitando as etapas de produção e metas. A organização do Rotas do Garimpo vai absorver a compra dos produtos e trabalhar para a valorização do ativos. “tudo o que existe hoje no garimpo está ultrapassado” afirma Ivan Pinheiro, o homem por trás dessas ideias que devem amadurecer e muito a organização do setor garimpeiro no Brasil.

Qualquer cooperativa é elegível ao token e ao financiamento. O Token é um contrato do Rotas do Garimpo com a cooperativa, desde que cumpra requisitos básicos, como ter áreas produtivas liberadas para o trabalho e assumir compromissos de melhoria, entre outros. Esse movimento pretende atingir a todas as cooperativas que estiverem dispostas ao trabalho, começando por cooperativas de ouro e diamante, seguida de cooperativas de metais mais buscados no mercado como nióbio, tantalita e grafeno. Até mesmo a produção de mármore e granito será atingida.

Aos que pensam ser essa é uma realidade distante, Ivan Pinheiro garante que isso já está acontecendo em menor escala e, dará um salto ainda no segundo semestre desse ano. O Projeto Rotas do Garimpo possui cartões de negócios VISA, no formato pré-pago, para três perfis de clientes. Em poucos dias entra no ar a plataforma digital rotasdogarimpo.com e, para gerar visibilidade junto aos garimpeiros, vai ser lançado também o Rotas do Garimpo Sobre Rodas, um veículo preparado para enfrentar as estradas dos garimpos de todo o Brasil, levando uma equipe de jornalistas e técnicos para conhecer pessoas e suas práticas sustentáveis para extrair riquezas da terra.

É um novo momento que se abre para o mundo dos garimpeiros. Esse é um novo Brasil.

Bem vindo ao novo.

Marinaldo M. Guedes

Jornalista

[email protected]

 

Nenhum comentário

Envie um comentário